O primeiro mês com o bebé | Traumas | Li.Me

outubro 23, 2019

Uma das coisas que mais preocupa os novos papás, principalmente os que são de primeira viagem, é o primeiro mês do bebé, ou seja, como será a adaptação a novas rotinas, como será a própria rotina da criança, como serão as noites, etc.

É óbvio que são perguntas a que não se tem resposta até chegar o momento. Mas, ainda assim, são as perguntas que mais passam pela cabeça, geralmente, no final da gravidez.

E, claro, para quem já não é de primeira viagem, surgem as perguntas de problemas e/ou coisas boas que aconteceram com as outras crianças e poderão ou não acontecer com o bebé que vem a caminho.

Quando já se teve outra criança


Quem acompanha aqui o blog sabe que já tivemos um filho, que faleceu à um ano, então esta não é a nossa primeira experiência com um bebé em casa.

Embora sendo o segundo bebé, as experiências são sempre diferentes, desde o momento da gravidez como já referi várias vezes.

Ainda assim há sempre coisas que funcionam da mesma forma, coisas que aprendemos com o primeiro filho e podemos repetir com o segundo, ou melhorar, e outras que já sabemos que não devemos fazer da mesma forma.

Sabemos que entre a amamentação em cada peito aproveitamos para trocar a fralda, assim o bebé desperta para mamar do outro peito.

Sabemos que o banho à noite ajuda a relaxar e a criar a rotina da criança, que aprende que depois do banho é hora de ir para a cama e dormir.

Sabemos que quando faz a sua caca vale a pena esperar mais um pouco antes de trocar a fralda pois pode sempre vir mais um pouquinho que ainda não tenha saído.

E, apesar de sabermos que devemos trocar a fralda num local com protecção pois pode acontecer de a criança ter vontade de fazer alguma coisinha no momento em que estamos a trocar... É, ainda assim nem sempre o fazemos.



Traumas

Para quem já teve crianças sabe que existe sempre alguma coisa que fica na memória por ter acontecido, ter sido um mau momento, e não querermos que volte a acontecer com o novo bebé.

No nosso caso temos um grande trauma por o nosso filho se ter engasgado.

É normal um bebé se engasgar bastante nos primeiros tempos.

Seja com o leite, seja até mesmo a respirar ou com a saliva.

Nesta fase os ''buraquinhos'' por onde passa comida e por onde passa ar são ainda bastante pequeninos e, o próprio bebé, ainda não sabe controlar a saliva, a mamada, até a própria respiração, e consequentemente se engasga.

É claro que é preciso ter cuidado, acidentes também podem acontecer nesta fase, mas também é necessário ter calma e saber como ajudar e prevenir.

O importante é não desesperar.

Para nós, que já temos trauma com esse tipo de coisa, é sempre um grande susto quando isso acontece e sempre será. Simplesmente é algo que sempre ficará na nossa memória.

Como superar?

Nem sempre dá para superar certos traumas.

O nosso, por exemplo, sabemos que não podemos superar mas sim lidar de forma diferente e como evitar.

Neste caso existem algumas coisinhas que se podem fazer para evitar e para ajudar:

  • Na altura de mamar, deixar o bebé numa posição mais sentado para que não engasgue tanto enquanto mama;
  • Elevar ligeiramente o local onde dorme, para que a cabeça fique ligeiramente mais elevada que os pés;
  • Certificar que o bebé arrota bem entre cada mamada de cada peito;
  • Manter o bebé ''de pé'' durante um pouco antes de colocar para dormir;
  • Deitar o bebé mais de lado para que, no caso de bolsar, não engula e não engasgue;
  • Sempre que o bebé engasgue ou pareça engasgado, colocar no colo de barriga para baixo, segurando com a mão na barriga, e bater de leve nas costas.
Com o tempo as coisas vão melhorando e, seja qual for o trauma, com o tempo vamos aprendendo a lidar melhor com ele.

Como disse, existem traumas que não dão para superar, mas podemos deixar de fazer deles um bicho de sete cabeças e podemos aprender com as experiências.

Quem mais, por aí, tem traumas assim como nós? Mesmo não sendo com filhos, podem ser traumas nossos que, posteriormente, nos relembramos quando temos filhos.

Beijinhos

You Might Also Like

0 comentários

Denunciar abuso