A segunda gravidez é sempre diferente? | Li.Me

maio 29, 2019

Desde sempre se ouviu dizer que uma gravidez nunca é igual à anterior, ou ainda, uma grávida nunca é como outra grávida.

Ou até mesmo que cada mulher é diferente em cada fase da gestação, se tem enjoos ou não, o quanto a barriga cresce, a forma como sente as coisas.

Mas... sinceramente... e de uma primeira gravidez para uma segunda? Muda assim tanto?

Vamos por partes! Vou contar-vos o que tem acontecido comigo, ou seja, a minha experiência.

E sim, nunca é igual à de outra pessoa, disso tenho a certeza! ;)



O início da gravidez

Para começar tem de ser do início, mesmo.

A primeira gravidez não foi propriamente planeada, enquanto que esta, pode-se dizer, que já estavamos a contar que, mais cedo ou mais tarde, acontecesse pois estavamos a fazer por isso, ou pelo menos a tentar... ehehehe

O início da primeira gravidez foi bem tranquilo, sem grandes mudanças. Sinceramente nem achei que estivesse mesmo grávida até ver pela primeira vez aquele feijãozinho dentro de mim.

Já nesta gravidez eu desconfiei logo, mesmo antes de fazer um teste sequer.

Comecei a sentir o meu corpo ligeiramente diferente, a minha disposição alterou, o meu estômago reagia de forma diferente e os meus peitos estavam bastante sensíveis.

Para além disso o meu corpo rapidamente começou a alterar e eu comecei a sentir desconforto ao usar roupas mais justas, principalmente calças que ficassem apertadas bem na zona logo abaixo do umbigo.

Os enjoos

Pode-se dizer que este é um ponto que pode causar muita discussão quando se trata de gravidez.

Existem várias pessoas que afirmam que isso depende muito do sexo do bebé, outras que dizem que isso depende daquilo que comemos, outras que afirmam que depende daquilo que o bebé gosta e por aí fora...

O que mais ouvi é que seria uma menina, sem dúvida, pois eu sempre andei muito enjoada, vomitava muito (embora ainda continue enjoada e com vómitos) e outras coisas adjacentes.

No entanto, para mim, isso não provava nada... Sendo uma segunda gravidez isso não me poderia provar nada, e também o facto de conhecer outras mulheres que engravidaram, tiveram meninas e nem todas tiveram enjoos durante a gravidez e as que tiveram também não foram da mesma forma que eu.

Assim sendo, na primeira gravidez quase não tive enjoos. Apenas enjoava quando comia fêveras panadas e acabava por vomitar. Fora isso, foi bem tranquilo.



Já nesta... É melhor perguntarem o que é que eu ainda não enjoei para eu poder responder mais facilmente.

No início enjoei praticamente tudo! Não conseguia comer carne de vaca estufada, salsichas, carne de porco estufada, grelhada ou cozida, asinhas de frango pré-fritas, arroz simples. Comia só um pouquinho de hamburguer frito em casa (os de restaurantes acabava por vomitar), um pouco de bife, carne assada, batata assada, arroz de tomate... A única coisa que realmente conseguia comer eram legumes e saladas.

Até a água normal enjoei e tive que passar a beber água com gás!!!!!!

Ah... e não, não eram apenas enjoos matinais... eram, e ainda são, enjoos que duram o dia todo...

O crescimento da barriga e sentir o bebé

Na primeira gravidez só se começou a perceber realmente a minha barriga depois dos 4 meses. Até lá disfarçava bem e eu conseguia, ainda, usar algumas roupas minhas de antes da gravidez. 

Depois disso comecei a sentir o desconforto das roupas que apertavam na barriga e tive que procurar peças mais largas e calças de grávida para poder andar mais confortável.

Como essa fase inicial da gravidez foi quando apanhei o Verão, tive alguma sorte quanto ao calor e esse tipo de problemas, já que logo veio o frio juntamente com o maior crescimento da barriga e não sofri muito com isso.

Só por volta dos 4 meses de gravidez é que comecei a sentir o bebé a mexer, não era sempre que sentia e só depois, com o crescimento dele também, é que os movimentos foram ficando mais fortes e mais claros para mim.



Com esta segunda gravidez, para não variar, claro que tudo tinha que ser muito diferente!

Já referi que praticamente logo comecei a sentir incomodo coma s roupas mais justas, então logo tive que passar a usar leggings que não me apertassem muito a barriga e tive que comprar as ditas calças de grávida.

Com 2 meses de gravidez já se notava bastante uma barriguinha redonda que indicava que estava grávida. Em comparação à primeira gravidez, essa barriga de 2 meses de agora era a minha barriga de 4 meses da primeira gravidez.

Entre o segundo e o terceiro mês de gravidez já conseguia sentir algo dentro de mim. Não eram propriamente chutes nem nada do género, mas sim como se fosse uma bolinha que fazia pressão e conseguia sentir a movimentar-se de um sítio para o outro, especialmente à noite quando já estava na cama para dormir.

Agora... Agora parece uma criança enorme desesperada para sair de dentro da minha barriga eheheheheheh

Conclusão

Realmente acho que uma segunda gravidez é diferente da primeira, assim como uma terceira possa ser das outras e etc.

No meu caso é uma enorme diferença, praticamente tudo tem sido diferente e, por um lado, ainda bem que a minha primeira gravidez foi bem tranquila, assim, pelo menos, não desespero tanto com todas as situações que me ocorrem nesta gravidez.

Comparando com outras mulheres... Também tenho a certeza que é sempre diferente, mesmo nos casos de crianças do mesmo sexo.

Assim como as pessoas são diferentes umas das outras, as crianças também, mesmo na sua formação.

Os próprios médicos fazem as análises e exames a partir daquilo que é suposto acontecer, daquilo que normalmente acontece e consoante a sua experiência... No entanto aparecem sempre casos diferentes.

No meu caso, eu sou um deles: uma grávida de quase 6 meses que sofre com enjoos o dia todo, vómitos, já quase caminha de pernas abertas, tem uma barriga enorme e já não sabe o que há-de comer!! :D

Beijinhos

You Might Also Like

0 comentários

Denunciar abuso