Artes de Sexta | 02 - Drag Queen & Drag King

outubro 27, 2017

Certamente já ouviram, ou leram, estes nomes em alguns lugar. Provavelmente mais o ''Drag Queen'', por ser mais comum.

Embora as sociedades de hoje em dia ja sejam mais desenvolvidas, de mente mais aberta e acesso a informações em praticamente qualquer lugar, estes artistas continuam a ser bastante criticados, julgados e, principalmente, não são compreendidos.

O que significa Drag Queen? E Drag King?

Os termos populares de ''Drag'' sugerem que é um acrónimo de ''Dressed Resembling A Girl'', em tradução livre ''Vestido Semelhante a uma Menina''.

Queen e King pode-se referir a questões relaccionadas com a própria pessoa que interpreta o papel, questões da sua própria personalidade. Queen também está relaccionado com a palavra antiga inglesa ''quean'' ou ''cwene'', que originalmente significava apenas ''mulher'' e, depois, passou a ser utilizada como um rótulo para mulheres promíscuas e para homens gays.

Drag Queen é um artista do sexo masculino que actua representando uma mulher bastante explosiva, confiante, impactante.

Por norma, o homem escolhe roupas bastante chamativas, perucas espantosas, saltos altos bem altos ou grandes plataformas e usa a maquilhagem da melhor forma a ''transformar'' os seus traços no mais feminino possível.

Drag King é uma artista do sexo feminino que actua representando um homem, normalmente com cariz humorístico.

A mulher escolhe roupas masculinas (neste caso não necessariamente chamativas, todos os acessórios necessárias de forma a criar o seu personagem e, igualmente, usa a maquilhagem da melhor forma a obter os traços mais masculinos.

Mulheres que, na actualidade, usam chapéus, gravatas, calças, casacos ou até mesmo conjuntos completos masculinos por questões de moda não são consideradas Drag kings.

O que é ser Drag Queen ou Drag King?

Tanto para um caso como para o outro, o principal objectivo e mais comum, é apresentar um espectáculo de forma a entreter o público.

Geralmente, no caso de Drag Queen, o homem canta, ou faz playback, e dança de forma excêntrica, por vezes, retratando uma mulher poderosa.

Embora este seja o principal objectivo, esta personagem está associada a outro tipo de questões que irei desenvolver mais à frente.

No caso de Drag King, por norma o objectivo é criar uma personagem de forma a proporcionar um espectáculo de cariz humorístico e/ou crítico social.

As questões do Drag

Para ambas as situações a criação de uma personagem tem vários componentes.

Encontram-se casos em que simplesmente interpretam o papel de alguém conhecido, como paródia ou crítica social, e outros casos em que a personagem ''nasce'' do zero.

Neste último caso podemos encontrar vários aspectos sobre a pessoa que está por trás da ''máscara''. Eles são:
  • Fetiches
  • Sexualidade
  • Desejos ocultos
  • Fantasias
  • Ideais
  • Crenças
  • Inspirações
  • Lemas de vida
  • Críticas
  • Complexidade do ser humano
Muitas pessoas continuam a achar que Drag Queens são sempre gays. Isto náo é verdade.

Muitos seguem outras orientações sexuais e, sim, existem Drag Queens que são heterossexuais.

Esta questão sempre é levantada pelo facto de se vestirem de mulheres e serem comparados e confundidos com travestis. Drags e travestis são diferentes embora, em ambos os casos, exista uma questão relevante que é a Identidade de Género, bem diferente de Orientação Sexual.

Este tema será desenvolvido posteriormente em outro post para que vos possa explicar as diferenças e esclarecer as vossas dúvidas.

Arte do Drag

Toda a complexidade desta arte é visivelmente mais notada no caso de Drag Queen.

Certos homens possuem expressões muito marcadas que, para uma simples pessoa sem conhecimento nem prática com maquilhagem, simplesmente é difícil de suavizar.

Com isto, é necessário muita prática com maquilhagem, por vezes mesmo a aquisição de um curso completo, conhecimentos de moda para que as escolha das roupas certas facilite na aproximação às formas femininas e, tão importante como todas as outras características, saber criar e apresentar um show organizado e que cative o público que o vai assistir.

Então, os homens escolhem perucas lindíssimas de fazer inveja, bem como vestidos de sonho que qualquer mulher desejaria ter, elaboram as suas maquilhagens, depilam-se e sobem num salto alto, ou plataformas, que por vezes nem nós mulheres conseguimos usar por mais de cinco minutos, e sobem num palco para cantar, dançar, arrasar com tudo e com todos de uma forma absolutamente extraordinária!

Alguns Drags chegam a fazer tanto sucesso que a sua presença passa a ser solicitada para qualquer tipo de evento e até mesmo programas de televisão.

Sim, a grande maioria de Drags encontram-se em shows, performances, espectáculos e aprensentações em bares LGBT e eventos do mesmo género mas, na actualidade e com a evolução e aceitação desta arte, já é possível assistir a estes artistas em outro tipo de programas e locais. Afinal de contas, são artistas como tantos outros que vemos diariamente.

Para além dos ''Drag Shows'', forma como é popularmente chamado o espectáculo, há muitos Drags que mantém um emprego em tempo integral e fazem isto apenas como hobbie. Aqueles que conseguem atingir um sucesso maior por vezes passam a fazer do hobbie o seu emprego.

Drag Queens famosas

RuPaul


Nacionalidade: Norte americano

O que faz: Cantor e apresentador de ''RuPaul's Drags Race''

Pabllo Vittar


Nacionalidade: Brasileiro

O que faz: Cantor e compositor

Adore Delano


Nacionalidade: Norte-americano

O que faz: Cantor

Willam Belli


Nacionalidade: Filadélfia, EUA

O que faz: Actor, artista de gravação

Courtney Act


Nacionalidade: Australiano

O que faz: Cantor pop, entertainer

Lady Bunny


Nacionalidade: Tennessee, EUA

O que faz: DJ, promotor e fundador do evento anual ''Wigstock''

Jodie Harsh


Nacionalidade: Londres, Reuno Unido

O que faz: DJ, produtor e promotor

James ST. James


Nacionalidade: Michigan, EUA

O que faz: Autor e colaborador

Jackie Beat


Nacionalidade: Califórnia, EUA

O que faz: Actor, cantor e escritor de músicas

Dame Edna Everage


Nacionalidade: Australiano

O que faz: Comediante

Lorelay Fox


Nacionalidade: Brasileiro

O que faz: Youtuber

Conclusão

Existem muitas outras personagem mais conhecidas e menos conhecidas pelo mundo fora, estas foram apenas alguns exemplos.

Gostava também de vos contar uma coisa, uma experiência que tive com Drag Queens.

Em uma das vezes que fui sair com amigos, fomos a um bar onde frequentemente havia shows e espectáculos dos mais variados estilos e temas.

Não, não era LGBT e, mesmo que fosse, sentiria-me confortável pois é um lugar completamente normal onde as pessoas que os frequentam também são completamente normais (e por vezes podem ser bem mais simpáticos e receptíveis que em lugares ditos ''normais'').

Estava a haver um Drag Show e eu achei incrível aquela mulher que dançava, pulava por todos os lados nos seus saltos enormes, o cabelo esvoaçava mas não se colava aos lábios (aiiii... o quanto eu queria que fosse assim comigo também!) e em nenhum momento se desiquilibrou!

As roupas que usava? Eu morri de inveja!!! E ficavam-lhe tão que eu desisti da ideia de procurar umas iguais para mim por que provavelmente não me iriam ficar tão bem...

Depois do show eu estava num corredor onde tinha uns espelhos e estava a ver a minha maquilhagem (mulheres, né?) quando ela apareceu ao meu lado e, numa voz bem grossa, me disse: ''Querida, tu estás linda como estás, não exageres na maquilhagem ou vais parecer uma boneca insuflável.''.

Bem... se o meu queixo não estivesse agarrado à minha cabeça, eu tenho a certeza que ele tinha caído no chão!!

Ela percebeu que eu não fazia ideia que era um homem, então simplemente continuou: ''Ainda não tinhas visto ninguém assim, não é? Mas asseguro-te que não sou travesti.'' E, dito isto, apareceu uma mulher ainda mais linda com longos cabelos bem penteados e, para minha surpresa, quase sem maquilhagem e simplesmente deu-lhe um beijo!

Ora... eu claramente fiquei confusa... era a primeira vez que estava a ter contacto com uma Drag Queen. 

Ela, sempre muito simpática, explicou-me o que era e o que fazia, apresentou-me a sua esposa (ou seja, ele era heterossexual) e ficou ali a conversar comigo, num lugar mais refugiado dos olhares do seu público, a apreciar a mulher e a dar-me dicas de maquilhagem e moda.

Eu fiquei muito, mas mesmo muito impressionada com o seu conhecimento do universo feminino, e ainda mais impressionada com a naturalidade com que a sua esposa encarava tudo e o acompanhava na sua carreira.

Eu, como curiosa que sou, resolvi fazer a pergunta mais natural que me ocorreu: ''trato-te no feminino ou no masculino?''. E a resposta que tive foi: ''como te sentires mais à vontade. Quando estou na minha persongem até prefiro que me tratem no feminino, ajuda-me a mantê-la, e quando sou apenas eu prefiro o masculino mas pouco me importa, sei quem sou na realidade''.

Esta experiência, para mim, foi das melhores que já tive na minha vida! Para além de ter conhecido um mundo cheio de segredos e mistérios completamente diferente do ''meu'', conheci um artista espectacular!

E vocês, já tiveram contacto com alguém assim? Já assistiram a algum show? O que vocês acham destes artistas?

Sejam sinceros, cada um é livre de ter as suas próprias ideias e opiniões!

Deixem os vossos comentários, contem as vossas experiências e opiniões e espero que tenham gostado!!

You Might Also Like

0 comentários

Denunciar abuso