Artes de Sexta | 01 - Artes de pequeninos

outubro 20, 2017

Afinal qual é a definição de Arte? Quem pode apreciar Arte? Quem faz Arte?
São perguntas que qualquer pessoa pode fazer, mas nem toda a gente sabe responder.

'' A arte deve apanhar a realidade de surpresa''
 Françoise Fromentin

Para qualquer tipo de arte é necessário ter criatividade, ou pelo menos é mais fácil com criatividade.
E, uma das possíveis definições de criatividade, é o dom de pensar livremente enquanto se diverte.

Ui, diversão? Alguém falou em diversão?
Quem são os peritos/as da diversão? Crianças!
Então vamos falar delas e das suas artes que, sejamos honestos, muitas vezes nos deixam de cabelos em pé!

A mente criativa de uma criança

A criatividade faz parte da vida infantil e é um elemento essencial para o desenvolvimento intelectual e emocional da criança.
Quando a criança brinca, joga, desenha, ela está a criar, a fazer uso da sua imaginação e a desenvolver a sua capacidade criativa. A sua imaginação permite criar fantasias e transformar o mundo através da sua própria visão.

Nós, adultos, acreditamos que somos capazes de imaginar o que uma criança muito pequena está a pensar, mas enganamo-nos! Não nos podemos esquecer que as suas mentes não tem limites e, quando ainda muito pequenos, uma criança não desenvolveu ainda a capacidade de pensar apesar de ser naturalmente curiosa.


As suas artes

Todos os pais tem a probabilidade de passar por experiências em comum. Uma delas é a de ver os seus pequenos artistas a fazerem lindas decorações nas paredes de casa, no chão, nos tapetes, cortinados, lençóis, almofadas, cadeiras, mesas, armários, sofás, e todas as superfícies que permitam expressar as suas invenções e emoções.

É importante salientar que produtos como sal, açúcar, farinha, café, chocolate em pó, pasta dentífrica, gel de banho, sabonete, velas, entre outros, também são excelentes materiais para a produção de um belo "quadro"! Principalmente aqueles que misturados com água criam texturas diversas.

Então eles pegam em tudo o que encontram à mão, correm para o lugar mais próximo e preparam-se para um momento único de pura inspiração! E, ali, ficam as marcas da mais pura inteligência, criatividade e naturalidade de uma criança pequena.


A interpretação do ser adulto

Quando a criança é muito pequena e ainda não aprendeu a criar formas, tudo aquilo que, nós adultos, vemos são riscos por tudo quanto é lado, sujeira por todos os lugares e um enorme trabalho pela frente para fazer parecer que ali não aconteceu uma catástrofe!

Sim, nós amamos os nossos pequeninos e queremos que se expressem da melhor forma possível, queremos dar-lhes essa liberdade mas, no primeiro impacto, os primeiros segundos são de puro desespero!

Algumas pessoas simplesmente petrificam, outras soltam um grito de espanto, outras chegam mesmo a chorar e, por fim, há quem simplesmente solte gargalhadas misturadas com aquele sentimento de surpresa e horror ao mesmo tempo.

Conclusão

Por este ponto de vista, realmente a arte apanha a realidade de surpresa!

Se a arte é uma forma de expressar todos os sentimentos e emoções, quem melhor que uma criança, pura ingenuidade e criatividade, para a criar?

Tudo aquilo que criam vem do mais íntimo e genuíno que possuem. Não são apenas riscos ou sujeira por todo o lado.

O que criam mostra-nos que estão a evoluir, a aprender, a expressar que são/estão felizes, que fizeram tudo aquilo com amor e diversão.

Já reparam que nos mostram um sorriso de pura felicidade quando nos mostram o que acabaram de fazer?

Seja algo bom ou mau, as crianças estão apenas a desolvolver as suas capacidades e a descobrir coisas novas, cabe-nos a nós conduzí-las no caminho mais correcto (ou mais provavel de não parecer que aconteceu uma catástrofe em casa) para as reproduzirem.

Não devemos esquecer que, segundo vários estudos, um desenho de uma criança diz muito sobre a sua relação com o cotidiano, família, escola, sobre a sua personalidade e sobre as suas ambições e desejos.

Então, se procuramos na arte o reflexo de estados de espírito, ideias, emoções e reflexões, deveríamos considerar arte aquilo que os nossos rebentos nos oferecem. Afinal, nós mesmos poderemos ser as suas inspirações e isso tem um valor inagualável!

E, para finalizar, tenham sempre à mão grandes e boas borrachas para tirar os riscos de lápis da parede (preparem-se para dores nos braços depois caso seja uma obra de arte em tamanho xxl), procurem como limpar caneta dos mais diversos sítios e materiais e, factor principal, bom humor e muita, eu repito, muita paciência e coragem! ;)
Follow my blog with Bloglovin

You Might Also Like

0 comentários

Denunciar abuso